Samantha, a "Iris" da Iris Design.

Hoje eu aprendi enxergar a minha história de uma forma completa, e me encontrar nela. Por isso quero dividir com você.

Atuo como designer gráfico, sou formada de design de interiores, e pós graduanda em comunicação em mídias sociais. Ao longo dos últimos 24 anos eu estive em contato direto e indireto com a área de comunicação, redação e marketing. Não, eu não comecei a trabalhar no berço. Eu tenho 36 anos.

Aos 11 anos, quando minha mãe era caixa de um mercado próximo a minha casa, eu pedi para fazer os cartazes de ofertas, e foi então que duas vezes por semana, eu sentava na mesa da varanda de casa com cartolinas e pincéis, pegava uma lista e “desenhava” as promoções da semana. Açougue, padaria, mantimentos, produtos de limpeza. Eu sabia o preço de tudo, e tinha o maior orgulho de ver meus cartazes pendurados na janela do mercadinho.

Aos 12 anos, comecei a participar de comerciais de TV na cidade de Sinop, onde atuei em diversos comerciais no ramo do varejo. Em seguida, pedi para trabalhar como ajudante em uma agência de publicidade, que atuava diretamente com grandes redes de supermercados, e comecei a convivência com a TV, o rádio e a mídia geral.

No ano de 1999, aos 15 anos – autorizada pela minha família – fui trabalhar como “menor aprendiz” em uma afiliada de televisão na cidade de Vera/MT, apresentando um programa semanal de variedades, e dentro de alguns meses, ocupei o posto de apresentadora do jornal local diário, além de fazer reportagens, aprender a redigir, e acompanhar a edição de material. Apesar da pouca idade, sempre trabalhei com excelentes profissionais e tive a oportunidade de aprender e extrair o máximo de conhecimento.

Sempre fui conhecida pela empatia – mesmo quando nem sabia o que significava – e a capacidade de observação minuciosa sempre foi um ponto forte nas funções que atuei. Aliás, ajustar o produto ao público, foi algo que aprendi desde cedo, quando tive que cortar o cabelo e aprender harmonizar o rosto com maquiagem para parecer mais velha diante das câmeras.

Aos 16 anos, fui convidada a participar da minha primeira campanha política, na cidade de Sorriso/MT, apresentando e fazendo reportagens externas para a propaganda eleitoral. Após a campanha, voltei para Sinop, onde trabalhei novamente na TV, como repórter.

Logo voltei para Sorriso/MT e tive a oportunidade de participar da abertura da Associação Comunitária Sorriso – Jovem FM, que obteve a concessão da primeira rádio comunitária da cidade. Alí pude colaborar na produção por um período, mesmo depois que me mudei para Cuiabá, em 2002, para cursar a faculdade de Direito. No curso, criei junto a outros alunos um informativo escrito, e percebi que provavelmente não estava no curso certo. Contrariando toda a família, tranquei o curso no sétimo semestre. Iniciei publicidade e propaganda.

Me decepcionei com o curso de propaganda na época. Esperava muito mais. Queria prática, e só via teoria. Parei no primeiro ano, queria desenhar!!!

Decidi estudar algo artístico mesmo atuando na publicidade. Também me tornei voluntária em projetos sociais. No marketing.

Em 2006, me casei, me formei em Design de Interiores, e iniciei a carreira de Designer de Interiores, numa loja de decorações… trabalhando com marketing.

Tive diversas oportunidades de trabalhar com comunicação e publicidade; e fui abraçando todas elas, aprendendo um pouco sobre cada setor, observando como as coisas foram mudando com a tecnologia. Então fiz cursos de Desenvolvimento de sites, design gráfico, e trilhei o caminho pelo qual percorro hoje.

Em 2015, tive a oportunidade de atuar novamente em uma campanha política inesperada, de forma familiar e com pouquíssimos recursos, e então foi possível testar “na pele” todo o trabalho de análise e pesquisa que eu já costumava desenvolver para meus clientes. Desde 2016, divido meu tempo entre a assessoria das redes sociais do vereador Abílio, de forma voluntária; e o trabalho na minha empresa.

Em 2017, participei com designer e estrategista da equipe ganhadora do desafio “Hackacity” etapa Cuiabá, responsável pela ideia de um aplicativo para facilitar o acesso a saúde pública. A equipe foi contemplada com uma viagem para conhecer em Recife/PE, o “Porto Digital” e seus afluentes: “Porto Social” e “Armazém da Criatividade”; projetos de referência no Brasil em empreendedorismo, apoio a startups, inovação, comunicação, produção audiovisual e tecnologia.

Em 2020, completo 10 anos trabalhando de forma autônoma, com parcerias sólidas, com um formato de trabalho inovador, juntando referências e indicações que me possibilitam atestar o conhecimento que eu busco construir diariamente.

Por ser basicamente autodidata – e ter começado a trabalhar cedo sem formação acadêmica – nunca aceitei de maneira formal os títulos que me foram dados, as etiquetas dos cargos que tive no decorrer da vida, e sempre entendi que todo o conhecimento, a vivência e a experiência acumuladas, nunca serão suficientes.

As pessoas que me conhecem, costumam reparar como sou quieta, observadora. Surpreendo quando conto com o que trabalho. Falo pouco, falo sobre assuntos diversos, ouço demais. Penso muito. Analiso tudo.

Não há marketing se não houver empatia. Não há comunicação se não nos colocarmos no lugar do outro. Se uma mensagem não chega, ela não existe.